Notícias

Estudo vai permitir dragagens no canal dos pescadores

O projeto de requalificação das zonas costeiras Polis Litoral Norte submeteu ao Programa Operacional da Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos uma candidatura que vai permitir ao concelho de Caminha recolher informação sobre os sedimentos da foz do rio Minho. A meta é apresentar, numa próxima fase, uma candidatura para a dragagem do canal dos pescadores, há muito ambicionada e reivindicada. “A areia que existe a mais no estuário do Minho está em falta na praia de Moledo”, explicou ao CM Guilherme Lagido, vice-presidente da Câmara de Caminha. O estudo vai permitir avaliar se os sedimentos que estão depositados na foz do rio Minho têm qualidade e quantidade suficientes para serem transportados para as praias de Modelo. A mudança deverá melhorar as condições de trabalho dos pescadores que há muito “anseiam o desassoreamento do rio”, acrescentou o autarca, também responsável pelo pelouro do Ambiente. Além de melhorar a navegabilidade na foz do rio, os resultados deste levantamento representam o primeiro passo para uma candidatura à remoção dos sedimentos e materiais do canal dos pescadores. A deposição das areias preocupam há muito os pescadores de Caminha, que insistem na necessidade de ser feita a dragagem do canal de acesso ao chamado Cais da Rua. Os cursos de água que, em tempos, tinham muita força, acabaram por ser atenuados através da construção de barragens e outras infraestruturas. O que se pretende é “fazer aquilo que as cheias não fizeram”, concluiu Guilherme Lagido. O eixo prioritário do Programa de Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos é, precisamente, promover a adaptação às alterações climáticas, e a prevenção e gestão de riscos.

Fonte: Correio da Manhã