Notícias

Área da praia da Zambujeira do Mar interditada devido a perigo de derrocadas

Uma parte da zona norte da praia da Zambujeira do Mar, no concelho de Odemira, está interdita aos banhistas para evitar acidentes causados por possíveis derrocadas da arriba, informou nesta sexta-feira o capitão do Porto de Sines.

A instabilidade da arriba, de acordo com o comandante da Polícia Marítima e da Capitania de Sines, José António Velho Gouveia, é consequência das obras do programa Polis Litoral Sudoeste que estão a decorrer no local.

A Avenida da Praia, uma calçada que liga o centro da Zambujeira do Mar à entrada da praia, está fechada ao trânsito desde o início de Junho e o espaço para os peões passarem é também mínimo. No chão está a ser aberta uma enorme vala para o sistema de esgotos. Há maquinaria pesada a trabalhar e camiões a circularem, o que coloca em perigo a estabilidade da enorme arriba que é uma imagem de marca daquela praia premiada da costa alentejana, que ostenta bandeira azul.

O responsável da Marinha Portuguesa indicou que, na parte norte desta praia, cerca de 40 metros do areal permanecem utilizáveis, enquanto o restante está vedado e sinalizado, para manter uma “zona de segurança”. Mas só é possível utilizar essa zona que permanece fora da parte interdita na maré vazia.

A situação, que as autoridades, nomeadamente a Administração da Região Hidrográfica do Alentejo, não pretendem que seja definitiva, será reavaliada dentro de duas semanas, acrescentou a mesma fonte.

Na última semana, o PÚBLICO constatou no local que a área interditada do areal tem aumentado dia após dia. Mas a interdição limita-se a baias colocadas todos os dias pela Polícia Marítima, e que são constantemente levadas pelas ondas na maré alta. Não há qualquer aviso ou explicação nos painéis existentes à entrada da praia, ao cimo da escadaria.

Com a maré vazia é possível permanecer na praia, entre as baias e a linha da água, mas com a subida da maré todo o areal é ocupado pelas ondas. Os banhistas têm respeitado a interdição e a praia tem estado deserta durante a tarde, altura da maré cheia.

Ainda em Odemira, a praia dos Alteirinhos (a sul da Zambujeira do Mar), cujo areal só descobre durante a maré baixa, não está a ser vigiada, uma vez que não está concessionada, apesar de ser considerada de uso balnear desde o ano passado, referiu também José António Velho Gouveia.

A praia da Vieirinha – Vale de Figueiros, uma das mais procuradas do concelho de Sines, mantém-se igualmente sem vigilância permanente, situação que implica a perda da bandeira azul, confirmou.

Nas restantes 14 praias de banhos na jurisdição da Capitania de Sines, entre Melides (Grândola) e Carvalhal (Odemira), a época balnear prossegue com normalidade.

Nas áreas não vigiadas, os banhistas podem contar apenas com os elementos do Instituto de Socorros a Náufragos que, no âmbito do projecto “Praia Segura”, percorrem a costa num veículo tipo pick-up, auxiliados por militares apeados que prestam apoio a vários níveis, nomeadamente alertando banhistas e pescadores para situações de perigo.

Fonte: Publico